Skip navigation



Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorBanco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Brasil). Departamento de Estudos Setoriais-
dc.contributor.authorBorsoi, Zilda Maria Ferrão-
dc.contributor.authorCastro, Ana Maria-
dc.contributor.authorGimenez, Luiz Carlos Perez-
dc.contributor.authorLanari, Nora Lopes-
dc.contributor.authorAndrade, Raul da Silva-
dc.contributor.authorLoureiro, Marcelo-
dc.date.accessioned2017-09-28T15:52:42Z-
dc.date.accessioned2018-03-19T19:21:13Z-
dc.date.available2017-09-28T15:52:42Z-
dc.date.available2018-03-19T19:21:13Z-
dc.date.issued1993-
dc.identifier.citationBANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL (BRASIL). Departamento de Estudos Setoriais. Segmento de papel para imprimir e escrever. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, 1993. 33 p. (Textos para discussão ; v. 10).pt_BR
dc.identifier.urihttp://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/13394-
dc.descriptionBibliografia: p. 31pt_BR
dc.description.abstractEste trabalho focaliza os papéis para imprimir e escrever do tipo commodity offset (papéis não-revestidos), distinguindo os papéis a base de celulose. que concentram grande parte da indústria brasileira de papéis para imprimir e escrever, daqueles a base de pastas mecânicas. Em 1990 o mundo consumiu 12,7 milhões de toneladas de não-revestidos a base de pasta mecânica e 33.1 milhões de toneladas a base de celulose. No Brasil e no mundo. o maior mercado consumidor é a indústria de formulários contínuos. principalmente em razão da evolução da tecnologia de escritórios. A matéria-prima utilizada para fabricação desses papéis, no caso brasileiro, é a celulose de fibra curta, proveniente quase em sua totalidade do eucalipto e que tem conquistado espaços antes reservados a fibra longa. Suas características e reduzido tempo de maturação constituem os principais fatores de competição da indústria nacional, tanto que o Brasil tornou-se o 5º exportador mundial de papéis não-revestidos a base de celulose. Embora relevantes avanços tecnológicos venham sendo incorporados a produção do eucalipto através da biotecnologia e engenharia genética, o preço do papel a base de pasta mecânica é cerca de 20% menor que o do papel commodity a base de celulose. A estrutura da indústria nacional, onde atuam predominantemente grupos privados brasileiros, reflete o padrão mundialmente vigente. Constituem barreiras a entrada no segmento a escala mínima elevada e os altos investimentos, a rede de comercialização e a disponibilidade de base florestal. Trata-se de um oligopólio que baseia sua estratégia competitiva em vantagem de custo. Apenas três empresas respondem por 85% da produção nacional de offset, mas a configuração do setor está sendo inteiramente alterada com a entrada de novos grandes projetos. Dada a discreta diferenciação (gramatura, alvura. etc.) dos muitos tipos de papel deste segmento, suas aplicações podem ocorrer em finalidades comuns, é esperado o aumento da demanda por papel tipo offset cortado para impressão devido aos novos modelos de impressora, bem como a sua utilização nas máquinas fax em substituição ao papel térmico. Parcela considerável da produção nacional (62%) destina-se ao consumo interno. Apesar do baixo consumo per capita, a taxa média de crescimento da produção física pode ser considerada excepcional se comparada ao crescimento do PIB (9% a.a. contra 5.5% entre 1970 e 1989). O movimento de ampliação da capacidade interna e os investimentos mundiais recentes remetem a análise da estratégia do segmento nacional de papéis para imprimir e escrever para a e avaliação da sua competitividade no mercado externo. São considerados aspectos relativos a eficiência do segmento nacional tais como o atendimento a exigência do consumidor final, a importância da rede de distribuição e as pressões dos ambientalistas. Configura-se, assim, como um desafio para a indústria nacional, o bom atendimento a seu cliente a um menor custo.pt_BR
dc.format.extent33 p.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherBanco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Socialpt_BR
dc.relation.ispartofseriesTextos para discussão (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social);10-
dc.subjectPapel - Produtospt_BR
dc.subjectPaper productspt_BR
dc.subjectPapel - Indústriapt_BR
dc.subjectPaper industrypt_BR
dc.subjectConcorrênciapt_BR
dc.subjectCompetitionpt_BR
dc.subjectIndústria de papel e celulosept_BR
dc.subjectPulp and paper industrypt_BR
dc.titleSegmento de papel para imprimir e escreverpt_BR
dc.typeFolhetopt_BR
dc.nobrade.niveldescricao5pt_BR
dc.generoTextualpt_BR
dc.comunidadeProdução BNDESpt_BR
dc.localRio de Janeiropt_BR
Appears in Collections:Produção BNDES - Folhetos
Produção BNDES - Textos para Discussão BNDES

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Segmento de papel para imprimir e escrever_P_BD.PDF1.41 MBAdobe PDFView/OpenDownload
Show simple item record


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.